Extra­or­di­ná­rio Êxi­to da gre­ve geral de 24 de novem­bro de 2010 – CGTP

A CGTP-IN con­si­de­ra que a Gre­ve Geral cons­ti­tuiu um extra­or­di­ná­rio êxi­to e foi uma jor­na­da his­tó­ri­ca. Esti­ve­ram envol­vi­dos mais de três milhões de tra­balha­do­res e tra­balha­do­ras por­tu­gue­ses, ten­do esta sido, sem dúvi­da, a maior para­li­sação sin­di­cal de sem­pre no nos­so País.

A Gre­ve assu­miu um carác­ter trans­ver­sal, com enor­mes para­li­sações, tan­to a nível do sec­tor públi­co como do pri­va­do, ten­do envol­vi­do tra­balha­do­res dos diver­sos níveis de qua­li­fi­cação pro­fis­sio­nal.

Hou­ve uma excep­cio­nal ade­são no sec­tor dos trans­por­tes, de que se des­ta­ca o ence­rra­men­to total da acti­vi­da­de da aviação civil e por­tuá­ria no Con­ti­nen­te e nas Ilhas, bem como uma ade­são mas­si­va (que, em vários casos, atin­giu os 100%) nas empre­sas de trans­por­tes públi­cos e pri­va­dos, tan­to nas gran­des cida­des como no res­to do País. Foi tam­bém par­ti­cu­lar­men­te ele­va­da a ade­são nos sec­to­res da edu­cação, da saú­de, das autar­quias e a nível da indús­tria, em diver­sas regiões do País.

A CGTP-IN con­si­de­ra que, pela sua dimen­são e extra­or­di­ná­ria par­ti­ci­pação dos tra­balha­do­res, bem como pelo gran­de apoio da popu­lação por­tu­gue­sa, esta Gre­ve Geral teve já impor­tan­tes con­se­quên­cias para o futu­ro ime­dia­to.

Des­de logo, para a neces­sá­ria con­ti­nuação da inter­ve­nção e luta dos tra­balha­do­res por­tu­gue­ses con­tra as injus­tiças con­ti­das nos paco­tes de aus­te­ri­da­de e no Orça­men­to de Esta­do para 2011 e, numa pers­pec­ti­va de futu­ro, por novas polí­ti­cas que con­subs­tan­ciem alter­na­ti­vas eco­nó­mi­cas e sociais jus­tas, de pro­gres­so e des­en­vol­vi­men­to.

Esta Gre­ve é, ain­da, um con­tri­bu­to para o urgen­te refo­rço da inter­ve­nção e luta dos tra­balha­do­res que, no Con­ti­nen­te euro­peu e em todo o mun­do, resis­tem à ofen­si­va neo­li­be­ral e às polí­ti­cas que pre­ten­dem fazer pagar as con­se­quên­cias da actual cri­se aos tra­balha­do­res e às cama­das mais des­fa­vo­re­ci­das. Uma ofen­si­va que man­tém impu­nes os res­pon­sá­veis pela pre­sen­te situação e que, no essen­cial, pro­te­ge os inter­es­ses dos gran­des gru­pos eco­nó­mi­cos e finan­cei­ros e as gran­des for­tu­nas.

Nes­te plano, a CGTP-IN trans­mi­te o seu pro­fun­do reconhe­ci­men­to às deze­nas de orga­ni­zações sin­di­cais de todo o mun­do que envia­ram men­sa­gens de soli­da­rie­da­de para com a Gre­ve Geral em Por­tu­gal. Essas men­sa­gens são expres­são de um sin­di­ca­lis­mo inter­na­cio­na­lis­ta e soli­dá­rio que cres­ce e se amplia, poten­cian­do a uni­da­de na acção que é neces­sá­rio refo­rçar à esca­la euro­peia e mais glo­bal e cons­ti­tuí­ram um impor­tan­te incen­ti­vo à nos­sa luta, con­tri­buin­do, tam­bém, para o êxi­to da Gre­ve Geral.

Lis­boa, 25 de Novem­bro de 2010

Gra­cie­te Cruz

Secre­tá­ria de Relações Inter­na­cio­nais

CGTP-IN

Artikulua gustoko al duzu? / ¿Te ha gustado este artículo?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *